Meu estilo de viagem é DESTINOS



Dez cidades da América do Sul para visitar em 2015


Os grandes portais de turismo e comunicação do mundo todo já apresentaram suas opiniões sobre os melhores destinos para viajar em 2015, como Lonely Planet e National Geographic. Fomos então pesquisar cada um dos destinos para criar uma lista apenas da América do Sul. 



Agora não tem desculpa por não conhecer um destino diferente em 2015. A lista a seguir contempla apenas cidades da América do Sul que valem uma visitinha por nós, brasileiros.

 

#1 – Salta, Argentina

Cercada por vales e montanhas, Salta está localizada a noroeste da Argentina, à leste da Cordilheira dos Andes. O ano de 2015 será marcante para a história da cidade, que receberá um investimento de US$ 160 milhões para incentivar o turismo na região.

No centro, a Praça 9 de julho concentra edifícios históricos e é um bom ponto de partida para conhecer a cidade, que ainda mantém sua arquitetura em estilo colonial. Um excelente ponto de observação é o Cerro San Bernardo, cujo acesso se dá por uma estrada ou o Teleférico do Parque San Martín.

O Museu Arqueológico de Alta Montanha mantém um tesouro arqueológico valioso que prova a existência do povo Inca na região: Três crianças mortas encontradas no topo do vulcão Llullaillaco nos Andes, em 1999. As múmias de Llullaillaco, como ficaram conhecidas, estavam a 6.739 metros de altitude e foram sacrificadas há mais de 500 anos em uma oferenda dos incas aos seus deuses, numa cerimônia chamada Capacocha. O museu foi criado por conta dessa descoberta, a fim de evitar que as crianças, assim como as centenas de objetos encontradas com elas, fossem levadas para outro museu do mundo.

Há outros atrativos como a Rota do vinho, Safáris nas montanhas, Trem das Nuvens… A empresa Salta Rafting oferece atrações como a Tirolesa com trechos com 80 a 150 metros acima do rio Juramento e percurso de 100 e 500 metros, que permitem ao turista descer a mais de 35 km/h.

A vida noturna na cidade é bastante ativa com bares, discotecas, cassinos e discotecas. Para conhecer Salta, a Linda – como é chamada – é possível pegar um ônibus turístico (Salta Bus Turístico).

 

 

#2 – Medellín – Colômbia

Segunda cidade mais populosa da Colômbia, nos últimos 20 anos passou por uma imensa transformação no que diz respeito à diminuição da criminalidade. Como exemplo, a taxa de homicídios caiu quase 80% entre 1991 e 2010.

Vale a pena passear por seus parques cheios de arte e conhecer melhor a cidade através do moderno sistema de metrô. O clima, de tão agradável durante todo o ano, fez do local ser conhecido como “a cidade da eterna primavera”.

Atrações: Passeios de Teleféricos (Metrocables), museus, parques, compras. Em Agosto tem a Festa da Flor, uma celebração de dez dias. Não deixe de conhecer o Parque de los Pies Descalzos, é só tirar os sapatos e relaxar!

 

 

#3 – Vicuña, Chile

Vicuña é a principal cidade do Valle del Elqui, um dos locais mais visitados do norte do Chile e que tem atraído pessoas que estão à procura de paz. Está localizada a 528 km de Santiago e é tida como uma fonte de energias de cura, então é fácil encontrar acomodações que oferecem terapias alternativas, como reiki, meditação e massagens. Há também lamas medicinais e termas naturais.

Devido ao céu límpido, a região é conhecida internacionalmente como uma das melhores para observação astronômica, por isso há muitos observatórios de astronomia como o Mamalluca Astronomy Center e Cerro Tololo. O ar puro do Valle del Elqui permite até mesmo observar estrelas espetaculares sem uso de equipamentos.

Atrações: Museu Gabriela Mistral, célebre nativa da região ganhadora do Nobel de Literatura em 1945, Vinã del Valle Cavas – o mais alto Vinhedo do Chile  e Destilaria Pisco Mistral.

A agência de turismo Migrantes oferece passeios diversos, como caminhadas aos Andes, passeios em veículos e rotas aos observatórios.

 

 

#4 – Cartagena – Colômbia

A cidade portuária mais antiga das Américas é datada do século XVII, mas ainda assim é bem preservada. Seu nome, Cartagena de Índias, vem do município de Cartagena, na Espanha. Localizada na costa do caribe colombiano, oferece atrações como fortes, monumentos, museus, além de praias e ilhas. No centro histórico (Ciudad Amurallada) encontra-se a casa do Nobel de Literatura Gabriel García Márquez.

É em Cartagena também que são encontradas as mais belas esmeraldas do mundo, vale até uma passadinha no Museo de La Esmeralda.

Não espere encontrar o Caribe nas praias de Cartagena. Para isso, vá até as ilhas. As praias, além de não terem muita estrutura, são abarrotadas e cheias de ambulantes que incomodam quem vai em busca de um pouco de descanso.

 

 

#5 – San Pedro do Atacama, Chile

Considerado um oásis em meio ao deserto mais alto e seco do mundo, San Pedro do Atacama é um dos locais mais visitados do Chile e é ponto de encontro de turistas que vão fazer expedições no deserto. Por ser uma cidade bem pequena, pode ser facilmente conhecida a pé por suas ruas cheias de poeira e escolher dentre inúmeras agências de turismo a melhor opção para desbravar as redondezas. Os passeios mais comuns por lá são o Vale da Lua, o Vale da Morte e a Cordilheira de Sal. Outros passeios são os Gêiseres de El Tatio e as Termas de Puritama, onde os banhos acontecem em águas a 30° graus.  A vida noturna é agitada, com diversos pubs e restaurantes e um céu estrelado de cair o queixo.

 

#6 – El Chaltén, Patagônia Argentina

A capital argentina de trekking completa em 2015, 30 aninhos. Para ir, é bom se informar antes a estação do ano, pois a cidade praticamente fecha no Inverno por não se ter quase nada a fazer. Trilhas bem sinalizadas com vários níveis de dificuldade e boa estrutura garantem satisfação para quem passa por ali. Vale a pena alugar roupas e equipamentos para não passar apuros no local. O Viento Oeste é uma das poucas opções de lojas especializadas e o site elchalten.com oferece diversas informações. Não deixe de ir no restaurante La Cerveceria e na La Chocolateria Josh Aike.

 

 

#7 – Punta Arenas, Patagônia Chilena

A cidade mais antiga da Patagônia é também a cidade continental mais austral do mundo (já que a cidade de Ushuaia, que detém o título de mais austral do mundo fica em uma ilha, bem pertinho dali).

É em Punta Arenas onde saem pequenos cruzeiros para Cabo Hornes e Ushuaia, na Argentina, pela empresa Australis. A cidade é uma Zona Franca, então há produtos livres de impostos. Boa pedida para compras.

Experimente um “Choripán y Leche con Plátano”, espécie de hot dog de Chorizo acompanhado de um copo de leite com banana, um dos pratos mais populares do local. Não deixe de ir ao Cerro La Cruz, um mirante onde a vista é deslumbrante.

 

 

#8 – Santiago, Chile

Ótima opção para dar partida aos extremos do país, como o Deserto do Atacama e a Patagônia. A empresa Santiago Adventures possui diversos passeios que podem ser feitos na própria cidade, com o “Santiago à pé”, que inclui andanças pelo sistema de metrô. Não deixe de ir ou até mesmo ficar no bairro Lastarria, ideal para turistas. Mais sobre Santiago? Não perca este post do Experimundo aqui. 😉

 

 

#9 – Esteros del Iberá, Argentina

Este destino atende bem quem realmente ama a natureza selvagem e tem um orçamento mais folgado, pois se trata de um verdadeiro Pantanal Argentino sem voos diretos e baratos vindos do Brasil. Localizada na província de Corrientes (região norte do país), fica a 800 km de Buenos Aires. A área alagada é abastecida com água da chuva e é a segunda maior do mundo, perdendo apenas para o Pantanal Brasileiro. Seu nome vem do Guarani “Águas Brilhantes”. Em 1983 passou a ser reserva natural e os animais, antes quase exterminados pela caça, passaram a ser protegidos.

O que fazer: Contato com a natureza, safáris fotográficos, observação de aves e do por do sol, passeios de barco, pesca esportiva, cavalgadas. Os passeios podem ser contratados nas pousadas, campings ou hotéis das regiões próximas, como a Colônia Carlos Pellegrini.

O Lodge Irupé oferece pacotes com módulos especiais que ligam as Cataratas do Iguaçu aos Esteros.

 

 

#10 – Choquequirao, Peru

Cidade Irmã de Machu Picchu, porém bem menos conhecida e também mais difícil de chegar, seu significado é Berço de Ouro. Apenas cerca de 30% de Choquequirao é liberado para o turismo, o resto ainda permanece coberto de vegetação. O governo peruano está planejando investimentos no turismo do local, como um teleférico previsto para 2015. Se tudo der certo, o número de turistas e operadoras interessados em desbravar o local pode aumentar consideravelmente. Para se ter uma ideia, as autoridades determinam um limite de 2500 visitantes em Machu Picchu, enquanto que em Choquequirao, a média de visitas diárias não passa de cem.

CompartilheShare on FacebookPin on PinterestEmail this to someoneTweet about this on Twitter